Quadro clínico de Bolsonaro piora e alta é adiada

Na última segunda-feira, dia quatro de fevereiro, o Hospital Albert Einstein, no qual o presidente Jair Bolsonaro está internado, divulgou um boletim médico onde esclarecia o atual quadro clínico do presidente da República. O boletim divulgado dizia que Bolsonaro apresentou um quadro febril de 37,3 ºC e que precisou ser tratado com antibióticos para evitar os riscos de infecções. Além disso, também foi identificado pelos médicos um certo acúmulo de líquido bem ao lado do intestino, na região onde fica a bolsa de colostomia que era usada pelo presidente até a semana passada. Agora, Bolsonaro segue com um dreno no local.

Até o momento em que o boletim foi divulgado, o presidente já não apresentava febre ou dor e permanecia com a alimentação oral suspensa, sendo alimentado somente pela veia. De acordo com Otávio do Rêgo Barros, que é o porta-voz da presidência, Jair Bolsonaro não deve receber alta antes dos próximos sete dias

No início, o Palácio do Planalto esperava que o presidente voltasse para Brasília na próxima quarta-feira dia 6 de fevereiro. O que não será possível já que Bolsonaro está passando por uma terapia semi-intensiva, na qual terá que receber antibióticos durante essa semana para evitar o risco de infecção.

O porta-voz não descartou a possibilidade de haver uma nova cirurgia, porém ressaltou que no momento isso não está sendo cogitado. Ótavio do Rêgo, disse ainda, que a equipe presidencial não está considerando um novo afastamento do presidente. Fato esse, que só ocorreria caso houvesse uma orientação médica.